Friday, 27 August 2010

De tudo o que e perecivel

Ha um certo misterio na perda. Perder e se contorcer por dentro, tentando ganhar o espaco que ainda nao se tem. Mas nessa indulgencia do artista, que vai esquecendo os seus proprios escorregoes no palco, tambem vamos esquecendo as coordenadas nesse mapa que um dia tracamos com tanto cuidado.

Perder doi.



Mas e somente na perda que aprendemos a tatear no escuro a beleza de nossos medos. No inusitado que o nada nos presenteia e nos segredos revelados sobre nos mesmos, pela voz suave da solidao.

Quando olho pra tras, no jardim dos meus mortos. Qualquer coisa em mim, tambem morre de vez enquando. Porque la atras, no passado que nao mais se toca, ou se ouve, uma parte minha tambem repousa, sobre a oliveira em flor. E essas memorias, fios tenues e tao frageis, compoem quem somos e o que somos aos que amamos.

E o amor, esse fio magico, vai ligando vidas, como se fosse acendendo luzes uma a uma em uma cidade escurecida. Vai apresentando estranhos, transformando homens comuns em herois, pais em avos, mulheres em maes; vai dando nomes ao que antes nao conheciamos, apelidos que so nos entenderiamos. Vai apresentando amigos onde antes nao havia, vai nos extasiando com essa presenca do outro. Um espelho colorido, complexo, repleto desse misterio sempre tao unico a cada novo dia.

Quando o espelho do outro quebra frente aos nossos olhos extasiados, o que resta e a memoria do rosto tao conhecido, a ilusao do que poderia ser eterno, quando o que queriamos mesmo era brincar de Deuses, vencendo os limites do que e perecivel.

Ana Frantz

Monday, 23 August 2010

Tao perto do precipicio

Nesse infinito em mim, atiro passaros de um precipicio imenso so para ter a certeza que nem mesmo o medo de altura faz o passaro perder o voo. Arrisco minha propria pele as labaredas invisiveis das possessoes e vez que outra teu silencio vem brincar comigo.

Mas se a miragem que vejo no deserto em mim mesma, traz tuas cores, entao descodifico o segredo que inventei para que nao me perdesse mais no universo das paixoes. Vez que outra tranco tudo novamente com as sete chaves que catei pelos cantos das minhas dores antigas e que foram uma a uma formando o casulo seguro onde me escondia em dias tristes.

Talvez nao seja ainda a temporada das flores, da leve silhueta decorando a janela do jardim a meia luz das ilusoes mais obscenas. Sera que e perigoso ser feliz?

De vez enquando desconfio de tudo e me perco nesse deserto em mim. O deserto que construi com cada grao de areia; lagrimas minhas. Perambulo por horas, dias, anos, em busca de uma bussula que seja minha. Se a encontro; logo a perco. E fico por horas a trilhar caminhos sem nunca saber se chegarei ao sul um dia.

Mas quando escuto teus sinais, anunciando que seras meu, por outro segundo, toda a certeza galgada no veu da experiencia se dissipa no ceu das minha ilusoes mais profundas. Tudo perde o sentido e as palavras sao apenas uma lingua desconhecida, se elas nao saem de ti. Os sons sao apenas miragens do silencio, se nao e a tua voz que ressita a melodia. Quando nos despedimos sempre aperto meus olhos contra meus cilios e mordo meus labios com um pouco de forca, porque o que queria mesmo era ser a guitarra que tocas com tanta necessidade.

As vezes sonho em ser teu som preferido, depois logo acordo, e fico observando os passaros voando sempre tao perto do precipicio.

Ana Frantz

Thursday, 19 August 2010

O comeco


Queria poder fotografar teu rosto recostado no travesseiro branco. Tua pele. Teu jeito. O ar que entrava e saia de dentro de ti, passando ao lado do teu coracao que batia ritimado com os sonhos que inventava de olhos fechados, no silencio do teu sono.

Se eu pudesse desenharia o som e o ritmo que nossos corpos embalam quando estao na presenca um do outro e dancaria essa mistura de valsa com tango a noite inteira, ate o amanhecer me lembrar que o sonho faz sentido para quem nao adormeceu ainda.

Te reviraria pelo avesso, te confundiria cada sentido, te seduziria com a astucia de quem ja morreu um dia. Mas nao quero desvendar teus segredos, um a um, a casa dos meus medos. Te persigo por esse labirinto com as coisas que inventamos pra nos, e quando vejo, sou eu que fujo, dessas garras afiadas, matutas; a gana de quem sabe identificar seus sabores, seus aromas, suas dores. Vou recolhendo minha alma, essa crianca deslumbrada se expandindo faceira por recantos que ela nem bem conhece ainda.

Mas quando me descuido me pego te desenhando de novo, na folha ainda tao branca, nas paginas do livro que ainda nem lemos; apenas algumas palavras. Borboletas escorregam faceiras da caixinha apertada que guardava com tanto esmero, as deixo livres, perambulando pelos ares, pelas cores, pelos aromas, os teus sons.

E cedo ainda, a aurora dos comecos dita no ouvido do destino as surpresas que ainda nao vivemos. Desenrolo esse carpete cheios de cifras e esfinges. Me entrego ao misterio da tua elouquente presenca e deixo a brisa alisar nossa pele sedenta. Sempre sedenta. Voraz pela arte de desejar ser o criador, do palco, do enredo e da plateia, dessa coisa que chamamos de vida.

Te deixo entrar e uma vez mais me permito o mergulho fatal. Se eu morrer de amor; e porque um dia eu vivi.

Ana Frantz

Friday, 13 August 2010

Fly little bird


And there comes a time, when you knock all your walls to the ground, and bare yourself naked to the crowd. Doesn’t matter anymore if the judges are watching with anger eyes while you dance naked in the sky. Your wild breath is what keeps you alive. Running like a wolf through the jungle at night, lost on the whispers of grasshopper's voices in the dark.

Let go of your fantasies, bubbles floating in the air, if you still don't know who you are, there is no reason in persisting on this crazy search for something that can make you feel alive.Breath deeper, surrender your fears and face the stranger that stares at you in your mirror. Is better to be hated than be loved by what you are not. You are not.

Let go, let go, let go
Let, go, let go, let go
Little bird fly, fly, fly
Little bird

Life in the fast track always seems so hazed to my bright eyes. Memories and victories, losses and pain, they all sit together on my treasure box in the rain, while wild birds are flying around in circles, predicting the storm.Thunder come and go, and strong winds always come to make me fly higher, higher, higher in the sky.

Let go, let go, let go
Beautiful eagle its now your time to fly.

Tuesday, 10 August 2010



Entao, andei ausente.


O estranho disso tudo e que tao ausente de mim eu estive, que tudo se aquietou no espaco vazio, que tantas vezes uivava frases estrondosas, em meu ouvido fragil.


A verdade e que andei mais contente. Tao ocupada com o exercicio de sonhar, enquanto tecia os lacos coloridos da realidade. Notei enquanto nao me ocupava com milhares de afazeres sem sentido, os arco-iris pincelando o ceu que depois do cinza sempre virava em um azul muito intenso.


AF



Livros que me acompanham em 2009

  • Notes from my travels- Angelina Jolie
  • THE SHAMANIC WAY OF THE HEART - Chamalu- Luis Espinoza
  • Shooting Butterflies - Marika Cobbold
  • The Global Deal - Climate change and the creation of a new era of progress and prosperity- Nicholas Stern
  • The Penelopiad- Margaret Atwood
  • Discover Atlantis - Diana Cooper
  • Tne Gift - How the creative spirit transform the World - Lewis Hyde
  • My East End: A history of Cockney London- Gilda O'Neil
  • Delta of Venus- Anais Ninn
  • The Little Prince- Antoine de Saint ExupĂ©ry *** Apr
  • Doidas e Santas- Martha Medeiros (March)
  • The English Patient by Michael Ondaatje
  • Gilead by Marilynne Robinson - Feb
  • Healing With the Faries by Doreen Virtue (Feb)
  • Montanha Russa- Martha Medeiros (Feb)
  • O codigo da Inteligencia - Augusto Curry - Feb
  • O Ensaio sobre a cegueira - Jose Saramago ( Jan Lendo)

Livros que andaram comigo em 2008

  • Meditacao a primeira e ultima Liberdade by OSHO ( Dec)
  • The English Patient by Michael Ondaatje (Dec Lendo)
  • Harry Potter and the Philosopher's Stone - J.K Rowling (Oct Lendo)
  • The PowerBook - Janette Wintersone (Oct- )
  • A vida que ninguem ve- Eliane Brum (Sep - Lendo)
  • The Birthday Party - Panos Karnezis - (Sep )
  • Ensaio sobre a Lucidez -Jose Saramago (Lendo...)JUN
  • Nearer The Moon -Anais Ninn (Lendo..) JUN
  • Superando o carcere da emocao - Augusto Cury(lendo...) JUN
  • Perdas e Ganhos- Lya Luft Jun(Releitura) Jun
  • A Mulher que escreveu a Biblia - Moacyr Scliar(May) ****
  • The Secret By Rhonda Byrne (May)
  • Time Bites -Doriss Lessing March (lendo...)
  • Life of Pi - Yann Martel (March to May )
  • The Kite Runner -Khaled Hossein /March ****
  • Back when we were geown ups / ANNE TYLER (larguei na metade)
  • O Sonho mais doce - DORIS LESSING /Feb ****
  • The Crimson Petal and the White- MICHAEL FABER / Dec-Jan / ***

Livros que me acompanharam em 2007

  • Burning Bright - TRACY CAVILER
  • Fear of flying - ERICA JOUNG (larguei na 50th pagina)
  • I'll take you there - JOYCE CAROL OATES ***
  • Memorias de minhas putas trsites GABRIEL GARCIA MARQUEZ ***
  • The Siege - HELEN DUNMORE ***
  • A girl with a pearl earing - TRACY CHAVILER ***
  • A year in Province PETER MYLES ( larguei na metade)
  • The mark of the angel- NANCY HUSTON-
  • A bruxa de portobelo - PAULO COELHO -
  • Under the Tuscany Sun - FRANCES MAYA -
  • Sophie's World - JOSTEIN GAARDER *
  • The umberable lightness of being - KUNDERA- **
  • As aventuras da menina ma MARIO VARGAS LOSA - ****

Followers

About Me

Lua

CURRENT MOON
p>

FEEDJIT Live Traffic Feed