Tuesday, 28 September 2010

Meditation


"As you become more sensitive. Life becomes bigger. It is not a small fount, it become an ocean. Is not confine to you, and your wife and your children. Is not confine at all. This all existence becomes your family and unless the whole existence is your family, you have not known what life is. Because no man is an island, we are all connected, we are a vast continent, joined in millions of ways. And if our hearts are not full of love with the whole, in the same proportion our l life is cut in half. Meditation will bring sensitivity, a great sense of belonging to the world. It is our world, the stars are ours and we are not foreigners here.  We are part of it, we are heart of it. Secondly meditation will bring you a great silence. And you will be surprised that this silence is the only music there is. " OSHO

Rabiscos



Vou te esculpir.
Com cada frase que ja dissemos e teu olhar sempre azul tentando imitar qualquer imensidao que o ceu tem. Vou te enganar, com cada frase minha, sempre dita em outra lingua. Sei que me decifras, ate quando nao dizemos nada.
Vou te esculpir com cada petala de rosas que ja me destes e cada aroma teu. Vou redesenhar tuas entranhas, te tornar o que queres ser. Essa peca do quebra cabecas que sempre faltava, na tua estante empoeirada com os livros que nunca lestes.
Vou te domar, te tomar, te libertar dessa dor que carregas tao secretamente.
Te darei um filho, um lar, um pais.
Vou te esculpir com poemas em portugues e batidas de atabaque. Vou te revestir de roupa e carne, nesse bale que dancamos tao misteriosamente.
As coisas nao ditas, e que por serem silenciosas despertam tudo o que ha de selvagem em nos.
Vou te reescrever e na estoria que e so minha, teu final feliz embalara o meu, e tuas estradas tortas encontrarao na minha um atalho para tudo o que e essencial em nos.
Rabisco em ti declaracoes de amor escritas sempre em outra lingua, enquanto te deixo que te percas em qualquer outra forma de amor. E que quero que venhas manso. E que quero que descubras o caminho por ti mesmo. Enquanto cambaleias em tuas procuras sigo rabiscando pistas que possam enfim te levar, para aquele lugar seguro, que tanto imploras com lagrimas nos olhos, para teus Deuses. Enquanto te espero, tambem imploro baixinho que descubras o caminho e sigo rabiscando com graos de giz setas luminosas pelo chao.
Ana Frantz

Friday, 24 September 2010

O mundo

"O mundo e sempre daqueles que tem o mundo como meta." Romar Beling


...




She will let you in her mouth if the words you say are right...

I can see the sun in your eyes...




and I always liked what we saw together ...


and I never told you how beautiful it is the blue sky in your eyes.


YOU make me feel so alive that when we are together my body thinks it is dancing even when the music is not playing. AF

The art of being


Is there any mystery on the art of being?
If you could organise your thoughts in a loving logic, would you not discover that everything always made sense?

Is happiness not measured by the same amount of your own awareness of yourself? And the way one decides to view its own world and the boundaries, built by one, to safeguard what he intends to think to be the most precious assets of the being?
y

When the being is awake it will soon realise that every answer lies within oneself, nowhere else.

pThe secrets of eternal fulfilment lies on the decisions you make every day.
When you decide, to use your mouth to smile more than moaning, when you make a decision to open your eyes wide open to the beauty that never dies or denies the glory of life, when your ears are prompt to listen to the sounds that purify the soul, instead of the the ones which brings anxiety.
o

When you understand the language of passion and the ephemerality turning around in its orbit, when you learn to speak your own unique language and accept the face that looks at you in the mirror without punishments. When you see love in all things without trying to hold everything you touch, as love is freedom and trust. When you find peace in the middle of a turmoil. When you know who you are; it is a happy state to be.
o

Find that special place inside your soul and embrace the different winds of consciousness with the same bravery. When all the fear and desire dissipate from oneself, bliss will be found.

Ana Frantz

Monday, 20 September 2010

Ditto!


Leve



Na leveza do que e belo, desapareco. Cada silencio amanssando tudo que sempre fez sentindo, vai sussurrando para a vida que ate o destino tem preguica. E naquela pressa do acrobata se desiquilibrando em um cordao muito fino, eu tambem achava que se corresse, me salvaria do tombo do aprendiz.


Com o tempo que de tanto lamber a cicatriz tambem faz esquecer o medo, se entende que nao importa a altura do tombo, a pressa com que se levanta, e o quao rapido corremos a frente do nosso proprio destino, ansiando sempre um algo mais, um outro lugar ou um cenario todo novo, como se a rapidez ao recriar historias, as tornassem melhor escritas.


O importante e o que faz sentido; e a calma e crucial para o sonho ser; alem do sonho, um sentimento que se tem e se segura com as maos leves da realidade. E aquele amor tao intenso que nos faz sorrir pelo simples fato do outro existir; nem sempre e apertar tudo com tanta forca ate esmagar por entre os dedos da carencia, quem queriamos tanto bem. E respeitar o seu proprio ritmo. Os seus vicios, defeitos e as paixoes nao correspondidas. E entender o ritmo do tempo; as vezes rapido, noutras muito lento.


Talvez o segredo que daria um sentido para tudo isso estivesse sempre la, escondido nas entrelinhas, traduzido em palavras simples. O sonho era amar, sempre mais, com a voracidade da primeira vez, os homens, as mulheres, os segundos, os acontecimentos e as tardes de silencio. Porque e so no encantamento que somos divinamente felizes, e e so quando estamos felizes que entendemos o que realmente significa ser o filho legitimo de quem nos criou a sua imagem e semelhanca. Leve assim, ficava sempre mais facil ser o sonho em carne viva, passeando pelas horas de um outro dia, levitando e brincando de ser estrela, na beleza de tudo que e verdadeiro.

Ana Frantz

Thursday, 2 September 2010

Tenue

Te olho de distancias imensuraveis e sem tocar na rotina dos teus dias a pelicula fatal que rouba a novidade do acaso me revela uma coisa ou outra, as vezes descubro que te conheco bem mais, ainda mais que tu a ti mesmo. E nos espacos que ficam pendurados por cordoes sem fio, ate que teu olhar claro e sempre tao manso venha me salvar, mora a imagem de tudo o que quis ser um dia.

Se busquei entender o amor, foi em ti, que pude ler tudo o que ha de mais complicado. Tua densidade me purifica e tua alma sempre irradia na minha aquela cor do oceano apos a chuva, la no horizonte o arco-iris que poderia ter dito - pronto ja passou.

Sera que teriamos uma cura para essa solidao? A certeza de querer sempre um algo mais, quando ja era o tudo, o que se tinha.

Mas se me olhas e como se me reescrevesses novamente. Cada palavra sendo tatuada em meu corpo traz a tua caligrafia.

E se quando me beijasses em tuas noites de loucura pudesses ser capaz de sentir o jeito com o qual uma nova mulher nasce dentro de mim, cada vez que pincelas qualquer coisa tua na minha aquarela sempre crua, tu tambem entenderias, o que e habitar em mim, em noites assim.

Te tenho para toda a eternidade, eu sei. E esse amor so poderia mesmo perdurar assim, se desequilibrando na tenue veia da tua fraterna amizade e nos teus devaneios tao embriagados, que ja no outro dia, nao sao nem se quer memoria.

E eu sempre acreditarei em ti, quando me dizes sorrindo; que gostas de meninos e meninas.

Ana Frantz

Eter

Tem noites em que pouso para a Lua. Na varanda iluminada por estrelas, sou eu a melhor amiga do silencio. E a Lua pinta nuancias em mim, como se eu fosse sua tela. Ela me pinta de branco. Depois reacende uma luz amarelada em mim. Me conta historias de amor; nem sempre com final feliz, e outras sem final algum.

Ela mede a distancia entre a Terra e ela, e toda vez que ela fala desse abismo que nos distancia, eu olho calada para dentro e enxergo do que sou feita.

A distancia entre todas as coisas; e mesmo um espaco vazio. Espacos cheios, abarrotados de saudades, de vontades e da impossibilidade em agarrar o tempo enquanto ele nos foge sorrateiro pelos ponteiros do relogio, enquanto sonhamos com o impossivel e nem observamos as nuancias do segundo.


O silencio das coisas idas e sempre o que doi mais. Mas tudo e o antes e o agora. Quase tudo e memoria e imaginacao. Teco minha colcha dos retalhos com os sons, as cores, os amores e os lugares por onde andei. Invento um mundo onde encontro no linear do tempo a voz do silencio de todas as coisas nao ditas e os segredos traduzidos no olhar. Nem sempre e suficiente agarrar tudo com as duas maos, ha tambem um certo prazer em observar como as coisas amadas flutuam num ceu que nao nos pertence, preenchendo os espacos alem da atmosfera terrestre, alem do que poderiamos limitar em nos. A chama vital de ver no outro a ponte que nos reconectaria com nos mesmos, o caminho seguro para a casa de dentro.


Me atiro nesse eter sagrado das coisas nao ditas, ha tanto em mim ainda, que tambem anseia nascer. Ha tanto caminho ansiando uma chegada. Minhas perguntas, sem resposta, pairam no ar, como estatuas que escolpi com minhas proprias maos. O telefonema sem esperar, na noite que ia se despedindo de mais um dia, deixou claro nas entrelinhas e no suspiro da voz, que ele tambem se perdia nesse eter das coisas idas.


Ana Frantz

Livros que me acompanham em 2009

  • Notes from my travels- Angelina Jolie
  • THE SHAMANIC WAY OF THE HEART - Chamalu- Luis Espinoza
  • Shooting Butterflies - Marika Cobbold
  • The Global Deal - Climate change and the creation of a new era of progress and prosperity- Nicholas Stern
  • The Penelopiad- Margaret Atwood
  • Discover Atlantis - Diana Cooper
  • Tne Gift - How the creative spirit transform the World - Lewis Hyde
  • My East End: A history of Cockney London- Gilda O'Neil
  • Delta of Venus- Anais Ninn
  • The Little Prince- Antoine de Saint ExupĂ©ry *** Apr
  • Doidas e Santas- Martha Medeiros (March)
  • The English Patient by Michael Ondaatje
  • Gilead by Marilynne Robinson - Feb
  • Healing With the Faries by Doreen Virtue (Feb)
  • Montanha Russa- Martha Medeiros (Feb)
  • O codigo da Inteligencia - Augusto Curry - Feb
  • O Ensaio sobre a cegueira - Jose Saramago ( Jan Lendo)

Livros que andaram comigo em 2008

  • Meditacao a primeira e ultima Liberdade by OSHO ( Dec)
  • The English Patient by Michael Ondaatje (Dec Lendo)
  • Harry Potter and the Philosopher's Stone - J.K Rowling (Oct Lendo)
  • The PowerBook - Janette Wintersone (Oct- )
  • A vida que ninguem ve- Eliane Brum (Sep - Lendo)
  • The Birthday Party - Panos Karnezis - (Sep )
  • Ensaio sobre a Lucidez -Jose Saramago (Lendo...)JUN
  • Nearer The Moon -Anais Ninn (Lendo..) JUN
  • Superando o carcere da emocao - Augusto Cury(lendo...) JUN
  • Perdas e Ganhos- Lya Luft Jun(Releitura) Jun
  • A Mulher que escreveu a Biblia - Moacyr Scliar(May) ****
  • The Secret By Rhonda Byrne (May)
  • Time Bites -Doriss Lessing March (lendo...)
  • Life of Pi - Yann Martel (March to May )
  • The Kite Runner -Khaled Hossein /March ****
  • Back when we were geown ups / ANNE TYLER (larguei na metade)
  • O Sonho mais doce - DORIS LESSING /Feb ****
  • The Crimson Petal and the White- MICHAEL FABER / Dec-Jan / ***

Livros que me acompanharam em 2007

  • Burning Bright - TRACY CAVILER
  • Fear of flying - ERICA JOUNG (larguei na 50th pagina)
  • I'll take you there - JOYCE CAROL OATES ***
  • Memorias de minhas putas trsites GABRIEL GARCIA MARQUEZ ***
  • The Siege - HELEN DUNMORE ***
  • A girl with a pearl earing - TRACY CHAVILER ***
  • A year in Province PETER MYLES ( larguei na metade)
  • The mark of the angel- NANCY HUSTON-
  • A bruxa de portobelo - PAULO COELHO -
  • Under the Tuscany Sun - FRANCES MAYA -
  • Sophie's World - JOSTEIN GAARDER *
  • The umberable lightness of being - KUNDERA- **
  • As aventuras da menina ma MARIO VARGAS LOSA - ****

Followers

About Me

Lua

CURRENT MOON
p>

FEEDJIT Live Traffic Feed