Monday, 28 February 2011

Sei que viras


Me olhas em teus tons de ceu azul com nuvens muito brancas. Neste instante ate parece que vais me revelar tudo. Teus olhos abertos em flor. Ha qualquer coisa de sol iluminando um campo apos a chuva, entao vem o arco-iris e e quando penso que vais finalmente entregar tudo pra mim. Sem mais delongas, sem mais pudor. Mas logo um vento muito forte passa e assopra uma nuvem muito densa sobre a aquarela em cor, e tua expressao ja e outra.


Entao recrias a paisagem em tons de cinza chumbo escondendo qualquer pista que possa me levar ate ti. Te esqueces de que ja decorei teu mapa, tuas coordenadas e tua geografia.


Te escondes mesmo assim. Eu finjo nao te encontrar para que nao tenhas medo. Afinal ha certas forcas que nem convem tentarmos domar. Entao fico sentada calmamente a tua espera. Sei que viras e isto pra mim ja basta.


Ana Frantz

Thursday, 24 February 2011

E uma coisa de ceu

Tu vens, chega em mim mansamente. Demoras a partir...

Teu cheiro. Teu tom de pele quando ri. Nunca conheci outro; que sorri assim. Com o corpo inteiro. Sabe la, porque carregas tanto azul em teu olhar. E uma coisa de ceu, talvez seja de mar.

Quando sonhas assim, levitando em ar, quase me vou contigo. Mas ai volto. Me da um frio na barriga; e certo que o tipo de felicidade que decodificamos juntos nunca existiu. E so em nos que ela cabe. Ninguem acreditaria nela, nem mesmo nos mesmos. Entao fingimos fugir disto tudo. Escondendo nossas asas e nosso voo de quem quer que seja; e melhor que ninguem desconfie que tamanha altura e possivel. Mas sera que e possivel? E no que acreditamos? No impossivel ou no possivel?

Sei que encontramos a formula. Nao sei se um dia iremos revela-la. E para que? Quem nos acreditaria? Nada disso iria diminuir essa atmosfera que nos envolve. Nao acredito que haja qualquer forca capaz de diminui-la. Nem mesmo o destino, este cigano incandescente, que nos forca a embarcar em jornadas quando nem sempre estamos prontos para atravessar o deserto.

E certo que sempre vou confiar em ti. E certo que e em mim que vens, quando precisas ter em quem confiar. E sem querer ja somos muito mais um do que dois. Sem querer, cada sonho que sonhamos juntos e a propria realidade se transformando em cores e sons e mais tarde nas memorias sempre tao fluorescentes.

E certo que brilhas em mim. Desde que chegastes nao ha uma noite se quer sem estrelas. Enquanto nao aprendo a agarrar o infinito fico treinando em ser cadente para ver se te surpreendo e rabisco qualquer coisa minha em teu ceu.

Ana Frantz

Desfazer



Reconstruo pontes, antes de incendia-las, so para ter a certeza de que nao me esqueci de como um dia as construi; tijolo por tijolo.


E disso tambem a vida, desfazer.



AF

Somos todos anjos


SOMOS
TODOS ANJOS

de uma asa so,
E somente abracados,
podemos voar...









‎"We are each of us angels with only one wing, and we can only fly embracing each other"

Luciano de Crescenzo

Wednesday, 23 February 2011

"O espelho e os sonhos são coisas semelhantes, é como a imagem do homem diante de si próprio." Jose Saramago

Tuesday, 22 February 2011

Mergulhos

Quase sempre a melhor viagem que se faz e a por dentro. O melhor sonho e dentro da gente que nasce. E os enredos, do melhor beijo a surpresa mais bonita, comecam a borbulhar dentro da gente ate mesmo antes de serem a memoria que tao bem desenhamos com nossos pinceis mais coloridos. E onde voltamos para um folego novo, cada vez que nos falta o ar, quando passamos muito tempo do lado de fora.

A verdade e que tudo o que realmente importa habita na casa de dentro. As coisas que estao do lado de fora e que ironicamente parecem tomar quase todo nosso tempo, sao realmente as coisas sem importancia nenhuma.


Um trabalho, sera apenas um trabalho quando nao realizado com prazer. Com um sentido de proposito. Mas entre o proposito e o prazer; o prazer sera sempre o mais essencial. Uma amizade sera so uma relacao de conveniencia, sem que o verdadeiro sentido do altruismo e do amor incondicional seja pacientemente exercitado.

Para viver uma vida verdadeiramente plena e vital este olhar pra dentro. O olhar pra dentro de mim so nao basta, vai alem disso, esta no olhar para dentro do outro tambem. Para ser pleno e nescessario este mergulho no outro. Na arte. Na dor. Na perda. Na vitoria de uma alegria simples; porque e dificil isto, encontrar a alegria escondida entre as pequeninas frestas da simplicidade.

Observa isto; tudo o que e belo e simples.

Sentir-se em casa em qualquer lugar e atributo dos sabios de espirito, e e preciso para isto um grande grau de simplicidade, desapego e desenvoltura. No entanto sentir-se em casa pelos saloes de dentro, vai ainda mais alem disto tudo, e preciso ter coragem para se encarar de perto; este companheiro imprevisivel que nos espia do outro lado do espelho.

Promover este encontro consigo mesmo e uma magia, que so aqueles que se permitem este mergulho interno poderao vivenciar. Enchergar no outro este mesmo potencial de misterio e encantamento, talvez seja a maior aventura que a mente humana poderia empreender. Tenho a sensacao de que uma vida so vale mesmo a pena quando somos convidados a passear pelo mundo de dentro do outro e saimos com a sensacao de termos sido bem recebidos. Com a sensacao de que saimos maiores, melhores, ainda mais intensos; no minimo verdadeiros.

O amor incondicional e isto! Esta entrega sem medos. O que nao significa a ausencia destes; fantasmas covardes e indecisos. Mas o contrario, e a entrega cega, apesar e alem deles. Muito alem! E a certeza de que este sentimento que flui sem controle nenhum precisa ser experimentado ate a ultima gota. Como em uma correnteza que arrasta o que ve pela frente, nao ha outra saida a nao ser a de se deixar levar por estas aguas turvas e incertas. O mergulho no outro nunca e fatal, o que mata mesmo sao as fracas tentativas em aguas rasas.

Ana Frantz

Leituras do Mundo

Linda surpresa numa manha tao simples de terca-feira. Romar Beling amigo, poeta, escritor, jornalista, viajante profissional, bom vivente e por ai afora, devaga em seu Leituras de Mundo o papel da fotografia no cotidiano,a leitura, o mundo, as pessoas do Mundo, o Mundo das pessoas, enfim, vale a pena conferir.
Romar me surpreendeu muito porque usou como tema de suas divagacoes, uma fotografia minha, e decorre sua unica e intimista leitura sobre ela. Amei!
E obviamente fiquei imensamente lisonjeada por merecer este espaco no Leitura de Mundos, na admiracao pelo meu trabalho em fotografia, mas sempre alem disso tudo, lisonjeada por ter sido convidada a entrar neste mundo fantastico de Romar.
E nossa amizade segue;sempre segue, mundo afora alem do tempo.
Confira:
http://www.gaz.com.br/blogs/leiturasdemundo/posts/3050-cidadao_do_mundo.html

Monday, 21 February 2011

The time is coming...


Confio que vira

Entao finalmente escuto ao longe os sinais desta nova vida. Embrionaria e fugaz, ela quer ser percebida. Levada a serio. Ao mesmo passo que me pede certa atencao e confianca, me sussurra em braille que o segredo disto tudo e mesmo isso; sair tateando como um cego por pistas que nos levem ao fim do caminho. Mas ninguem quer o fim. Queremos o recomeco ou no minimo o continuar.

No entando nos angustiamos tanto quando flutuamos no meio das coisas. Do tempo. Da estrada. Dos relacionamentos. Nao nas amizades, que estas nao possuem comeco nem fim. Sua essencia persiste, alem das esferas que conhecemos como tempo.


Me despeco de tudo o que e definitivo. Solto os pesos deste balao, e me permito alcancar as distancias que tramei pra mim ha muito tempo atras, na terra longinqua dos sonhos esquecidos.

Esta nova aurora vem reluzindo frases reinventadas, bonitos enredos que querem me convencer de que ainda nem comecei a viver e de que o melhor disso tudo, este espetaculo que chamamos vida, esta apenas comecando.

Me alegro como antes a espera deste acontecimento. Aos quatro anos de idade pulando ansiosa ate que meu pai tirarasse o fusca azul da garagem e corria para o banco da frente. Esperava entao paciente por aquele momento; o dia de hastear a Bandeira do Brasil, na semana da Patria. Por este simples motivo me sentia a menina mais sortuda do mundo e a preferida do papai. Entao era preciso esperar paciente por mais um ano, ate que a semana da Patria marcasse de novo em nosso calendario. E assim foi ate eu crescer, e me tornar uma jovem mulher sem mais tempo de sobra para estas idiotices.

E aqui estou, sentada atras de um computador por longas horas ao dia, me perguntando como tudo poderia ter dado tao errado, para que aqui eu estivesse. Assim... Nada disso importa. Agora e a hora deste folego novo. De sentar como antes, no velho fusca azul, a espera do acontecimento que mudaria minha vida, ainda que fosse por apenas um instante. Paciente e inquieta eu espero pelo milagre que tornara tudo mais belo.

Redesenho as paisagens e pincelo um sol onde nao ha. Coloco frases na boca de quem eu amo. Ponto finais nas estorias muito demoradas e exclamacoes nas melhores gargalhadas. Acerto um rumo com o destino, rearrumo as coordenadas, minha geografia sempre me exigira ventos fortes; acredito que eles me seguirao. Confio que viras tambem.

Ana Frantz


Thursday, 17 February 2011

Carta a um amigo

Meu Querido,

Eu voltei. Voltei por alguns segundos estracalhada em um milhao de pedacos coloridos, que ja no findar da hora, no crespusculo que de tao cinza vira o infinito. Estes cacos de mim mesma, se tornaram meu todo mais ardente. Mais comovente.


E estranho a sensacao de quando descobrimos que nao se pode ter tudo. Os sonhos sao mais belos, simplesmente porque somos nos que os desenhamos, escolhemos as rimas, pincelamos o verbo, o nome, o personagem. Nos esquecemos de que, quem manda no destino e mesmo um outro autor, e Ele, o autor maior, o ganhador do Premio Nobel. A nos, simples amadores nesta arte de sonhar, resta mesmo apenas isto. A capacidade do sonho.


Por que voltei? Eu nao sei. E nao me atreveria a inventar nenhuma explicacao convincente, nao ao menos, a mim mesma. Voltei porque nao sabia ser diferente. Voltei porque tem horas na vida na qual nos sentimos apenas covardes fantoches nas maos daqueles que seguram por um sorriso ou outro o nosso coracao. E a estes entregamos tudo.

Londres continua a mesma. E engracado que quando a olhava pelos distantes horizontes do hemisferio sul, ela mesma, esta cidade tao bela e tao antiga, me parecia ainda mais bela, ainda mais antiga, ainda maior em seus corredores icognitos e introspectivos. Agora quando passeio por suas ruas, tenho a estranha sensacao de que ja vivi isso tudo, de que as conheco como a palma da minha mao e tudo se torna pequeno novamente.

Os dias aqui sao cinzas. Ha uma pelicula daltonica por sob a cidade. No entanto as nuvens sao densas, as vezes elas parecem descerem dos ceus, encostando-se em quem caminha pelas ruas. As horas no entanto, parecem saltarem dos relogios e quando se ve ja sao seis horas, e mal sorrimos, mal bebemos, mal dancamos, mal comemos, e tao pouco lemos.

Sinto imensas saudades do sul. Do ceu estrelado que me dava sempre a sensacao de que a qualquer momento uma estrela inquieta se atiraria do ceu, so para que pudessemos lhe fazer um pedido. Da chuva que despencava dos ceus com tanta furia e entrega, como se nao tivesse um minuto a perder, ansiando fazer amor com a terra seca. Do sol subindo pela colina a cada manha, esquentando meus poros e reluzindo na grama verde um tom fluorescente. Dos sabias cantando, do feijao no fogo, dos abracos, bracos, largos sorrisos, dos lacos tao eternos, firmes, definitivos como tatuagens emoldurando o que habita por dentro.

Sim, meu caro amigo. E em tudo isto estas, estou. Me parece que o tempo para nos nao passa. Este, com o passar dos dias, eternece. E quando estamos um, na presenca do outro; e como se habitassemos um universo alem de nos mesmos, aquem do tempo.

Sinto falta da tua imensa calma. Dos teus olhos azuis que combinam tanto com o ceu dai.

Tua sempre, tua.

Ana Frantz

Saturday, 12 February 2011

Volta


Entao eu voltei.

Foram longas as horas dessa ausencia, e, eu sei.

E que estive em muitos lugares ao mesmo tempo, sentindo o peso do mundo em minhas costas e sua leveza absurda, quando me faz voar de qualquer precipicio.

Entao eu voltei. Nao sei ao certo por quanto tempo, nem quao longe estas linhas ainda vao nos levar.

Mas tem sempre alguem que nos puxa para o que e essencial, nao e sempre assim?

Obrigada Vega, pelo teu suspiro baixinho. Por teu chamado descompromissado e por isso mais bonito.

La se vao as palavras bailando em um ceu cor de laranja. Neste tom de relato, me despesso ainda mais uma vez, longamente, neste demorado bocejo. La atras da colina, na pequena cidade, onde guardam as memorias. Para alem dos muros da consciencia eu sigo e uma vez mais guardo aquele fiapinho da esperanca dourada de que do outro lado do mundo alguem sinta este suspiro leve de quem toca mansamente na intensidade dos dias.

Assim eu regresso partindo. Na estrada onde um parte, e o outro que sempre chega. O futuro que me sorri risonho nao me faz esquecer do passado, aquele bebe tristonho chorando para ter uma volta a mais na montanha russa.

E nessas voltas que o mundo da, em sua galaxia marabalista, mistica e misteriosa, encanta poesias que nem sempre entendemos , para so mais tarde entender.

Me despesso do Rio de Janeiro, com a mesma saudade de sempre. Me parece aumentar a cada kilometro e tenho ainda mais nove mil a percorrer. Ha uma certa dor no voo, um pesar que as vezes medo da.

A casa vazia e so mais uma marca de que nem todo o barulho e bom. No entanto so viveria assim, nesta agonia insana tocando tudo que amo com a mesma voracidade de sempre. Como se fosse possivel morrer de amor. Mas para mim de nada valeria ter nascido sem a sensacao de que a qualquer momento pode-se morrer assim; simplesmente por amar de mais.

E esta esperanca silenciosa e inocente vai temperando as estrelas no meu ceu, que vez que outra decidem sem mais nem menos que o que elas querem mesmo e se jogarem do ceu. E neste momento de sorte eu faco o meu pedido; o de que sejas meu ate o infinito.
Ana Frantz

Livros que me acompanham em 2009

  • Notes from my travels- Angelina Jolie
  • THE SHAMANIC WAY OF THE HEART - Chamalu- Luis Espinoza
  • Shooting Butterflies - Marika Cobbold
  • The Global Deal - Climate change and the creation of a new era of progress and prosperity- Nicholas Stern
  • The Penelopiad- Margaret Atwood
  • Discover Atlantis - Diana Cooper
  • Tne Gift - How the creative spirit transform the World - Lewis Hyde
  • My East End: A history of Cockney London- Gilda O'Neil
  • Delta of Venus- Anais Ninn
  • The Little Prince- Antoine de Saint Exupéry *** Apr
  • Doidas e Santas- Martha Medeiros (March)
  • The English Patient by Michael Ondaatje
  • Gilead by Marilynne Robinson - Feb
  • Healing With the Faries by Doreen Virtue (Feb)
  • Montanha Russa- Martha Medeiros (Feb)
  • O codigo da Inteligencia - Augusto Curry - Feb
  • O Ensaio sobre a cegueira - Jose Saramago ( Jan Lendo)

Livros que andaram comigo em 2008

  • Meditacao a primeira e ultima Liberdade by OSHO ( Dec)
  • The English Patient by Michael Ondaatje (Dec Lendo)
  • Harry Potter and the Philosopher's Stone - J.K Rowling (Oct Lendo)
  • The PowerBook - Janette Wintersone (Oct- )
  • A vida que ninguem ve- Eliane Brum (Sep - Lendo)
  • The Birthday Party - Panos Karnezis - (Sep )
  • Ensaio sobre a Lucidez -Jose Saramago (Lendo...)JUN
  • Nearer The Moon -Anais Ninn (Lendo..) JUN
  • Superando o carcere da emocao - Augusto Cury(lendo...) JUN
  • Perdas e Ganhos- Lya Luft Jun(Releitura) Jun
  • A Mulher que escreveu a Biblia - Moacyr Scliar(May) ****
  • The Secret By Rhonda Byrne (May)
  • Time Bites -Doriss Lessing March (lendo...)
  • Life of Pi - Yann Martel (March to May )
  • The Kite Runner -Khaled Hossein /March ****
  • Back when we were geown ups / ANNE TYLER (larguei na metade)
  • O Sonho mais doce - DORIS LESSING /Feb ****
  • The Crimson Petal and the White- MICHAEL FABER / Dec-Jan / ***

Livros que me acompanharam em 2007

  • Burning Bright - TRACY CAVILER
  • Fear of flying - ERICA JOUNG (larguei na 50th pagina)
  • I'll take you there - JOYCE CAROL OATES ***
  • Memorias de minhas putas trsites GABRIEL GARCIA MARQUEZ ***
  • The Siege - HELEN DUNMORE ***
  • A girl with a pearl earing - TRACY CHAVILER ***
  • A year in Province PETER MYLES ( larguei na metade)
  • The mark of the angel- NANCY HUSTON-
  • A bruxa de portobelo - PAULO COELHO -
  • Under the Tuscany Sun - FRANCES MAYA -
  • Sophie's World - JOSTEIN GAARDER *
  • The umberable lightness of being - KUNDERA- **
  • As aventuras da menina ma MARIO VARGAS LOSA - ****

Followers

About Me

Lua

CURRENT MOON
p>

FEEDJIT Live Traffic Feed