Thursday, 11 March 2010

O dia em que fui mais feliz


2 comments:

Anonymous said...

O dia em que fui ainda mais feliz. Obrigado, Ana Maria, por tudo isso. Pelo conjunto da obra. Pelo teu olhar sobre Londres. Pelo teu olhar sobre a vida. Pela forma como estabeleces e cultivas as tuas amizades, também uma forma de cultivar o ouro da existência. Pela forma como te relacionas com a arte, com a intuição, com os segredos do silêncio, que tão poucas pessoas nos dias de hoje auscultam. Sei que nesse final de semana (é sexta-feira à noite agora, são exatamente onze horas e ainda me encontro em ambiente de trabalho), nessa noite londrina que avança madrugada adentro, sonhas com tuas coisas, teus ambientes, teus afetos, tuas esperanças. Se esse dia que transparece na matéria da Gazeta te fez feliz, tenha certeza que fez feliz a muitas outras pessoas. A teus familiares, certamente, que devem proclamar todos os motivos para ter orgulho de ti e da forma como conduzes e vês teu mundo. A teus amigos, entre os quais me incluo, lisonjeado e orgulhoso dessa amizade desde sempre. A teus amigos daí, pessoas que convivem contigo (dádiva) e partilham das tuas andanças. Sim, continue viajando, voando, acreditando, mergulhando, alçando voos de novo, e registra tudo isso. Registra, Ana. Há logo ali adiante um dia em que tudo isso, só isso, fará muito mais sentido do que todo o resto junto. Somos, Aninha, a exata medida daquilo em que acreditamos, daquilo pelo qual nos deixamos convencer. Insisto tanto que tem gente que veio ao mundo para fazer festa. E muda de lugar, de cidade, de ambiente, de balada, só pra continuar fazendo festa. Se está em Salvador, Santa Cruz, Mossoró, Parintins ou Cerro Alegre Baixo, o lugar é apenas um detalhe, importa que está fazendo festa. Para esses, o lugar é apenas uma garrafa vazia de Coca-Cola que enchem e esvaziam, enchem e esvaziam, enchem e esvaziam ao infinito. Resultado: nunca terão conteúdo. Sempre estarão cheios de vazios. É só olhar pro lado e sabemos quem eles são, os transparentes, os vazios. A tua relação, que é a relação dos artistas com o mundo que os cerca, é o da valorização do conteúdo. Teu olhar se maravilha, se encanta, maravilha e encanta quem conhece tuas fotos, e com isso preenche, estimula, acrescenta, convida, descortina, marca, registra, valoriza, emociona, acarinha. Obrigado, Ana, por te entregares ao que realmente importa, por te entregares cada vez mais a isso, por acreditares em algo que vai além do agora, do dinheiro, do material. Lembra de uma coisa: a cidade de Assaré, no Ceará, é conhecida no mundo todo porque tinha um prefeito, um deputado, um senador, um diplomata, um desembargador? Não. É conhecida porque tinha um agricultor de apelido Patativa que fazia versos. E os guardava de cor. É conhecida unicamente porque nela morava um poeta. Na nossa cidade vizinha de Cachoeira do Sul, aqui, o ex-prefeito e médico Acido Witeck, por melhor governante que tenha sido e foi, é conhecido porque plantou árvores, milhares de árvores, que resultaram no hoje famoso e fascinante Parque Witeck. O mundo, a história, a memória, Ana, é sempre daqueles que viram o que os outros teimaram em não ver, e que acreditaram naquilo que para os outros parecia, literalmente, coisa de doidos. É totalmente sem sentido, na cabeça dos "normais", ficar fazendo versos, captar em fotos os instantâneos do acaso, plantar árvores como se fossem bênçãos. Quando o senso comum, quando os "normais", Ana, dizem que uma coisa não faz sentido, é porque ela faz todo o sentido. Pessoas que dão sentido, que veem sentido, que buscam sentido, que "sentem", essas terão sempre dias em que foram muito felizes. Mesmo que depois hajam outros em que estarão muito tristes. A vida é assim. Dias de chuva e dias de sol. Sem eles (o sol e a chuva), nenhuma semente nasce. Depois, cabe cuidar, cultivar, ter paciência. E colher.
Beijo de final de semana, Ana amiga, que já está em bons tempos de colheita. Do teu sempre amigo Romar.

Anonymous said...

O dia em que fui ainda mais feliz. Obrigado, Ana Maria, por tudo isso. Pelo conjunto da obra. Pelo teu olhar sobre Londres. Pelo teu olhar sobre a vida. Pela forma como estabeleces e cultivas as tuas amizades, também uma forma de cultivar o ouro da existência. Pela forma como te relacionas com a arte, com a intuição, com os segredos do silêncio, que tão poucas pessoas nos dias de hoje auscultam. Sei que nesse final de semana (é sexta-feira à noite agora, são exatamente onze horas e ainda me encontro em ambiente de trabalho), nessa noite londrina que avança madrugada adentro, sonhas com tuas coisas, teus ambientes, teus afetos, tuas esperanças. Se esse dia que transparece na matéria da Gazeta te fez feliz, tenha certeza que fez feliz a muitas outras pessoas. A teus familiares, certamente, que devem proclamar todos os motivos para ter orgulho de ti e da forma como conduzes e vês teu mundo. A teus amigos, entre os quais me incluo, lisonjeado e orgulhoso dessa amizade desde sempre. A teus amigos daí, pessoas que convivem contigo (dádiva) e partilham das tuas andanças. Sim, continua viajando, voando, acreditando, mergulhando, alçando voos de novo, e registra tudo isso. Registra, Ana. Há logo ali adiante um dia em que tudo isso, só isso, fará muito mais sentido do que todo o resto junto. Somos, Aninha, a exata medida daquilo em que acreditamos, daquilo pelo qual nos deixamos convencer. Insisto tanto que tem gente que veio ao mundo para fazer festa. E muda de lugar, de cidade, de ambiente, de balada, só pra continuar fazendo festa. Se está em Salvador, Santa Cruz, Mossoró, Parintins ou Cerro Alegre Baixo, o lugar é apenas um detalhe, importa que está fazendo festa. Para esses, o lugar é apenas uma garrafa vazia de Coca-Cola que enchem e esvaziam, enchem e esvaziam, enchem e esvaziam ao infinito. Resultado: nunca terão conteúdo. Sempre estarão cheios de vazios. É só olhar pro lado e sabemos quem eles são, os transparentes, os vazios. A tua relação, que é a relação dos artistas com o mundo que os cerca, é o da valorização do conteúdo. Teu olhar se maravilha, se encanta, maravilha e encanta quem conhece tuas fotos, e com isso preenche, estimula, acrescenta, convida, descortina, marca, registra, valoriza, emociona, acarinha. Obrigado, Ana, por te entregares ao que realmente importa, por te entregares cada vez mais a isso, por acreditares em algo que vai além do agora, do dinheiro, do material. Lembra de uma coisa: a cidade de Assaré, no Ceará, é conhecida no mundo todo porque tinha um prefeito, um deputado, um senador, um diplomata, um desembargador? Não. É conhecida porque tinha um agricultor de apelido Patativa que fazia versos. E os guardava de cor. É conhecida unicamente porque nela morava um poeta. Na nossa cidade vizinha de Cachoeira do Sul, aqui, o ex-prefeito e médico Acido Witeck, por melhor governante que tenha sido e foi, é conhecido porque plantou árvores, milhares de árvores, que resultaram no hoje famoso e fascinante Parque Witeck. O mundo, a história, a memória, Ana, é sempre daqueles que viram o que os outros teimaram em não ver, e que acreditaram naquilo que para os outros parecia, literalmente, coisa de doidos. É totalmente sem sentido, na cabeça dos "normais", ficar fazendo versos, captar em fotos os instantâneos do acaso, plantar árvores como se fossem bênçãos. Quando o senso comum, quando os "normais", Ana, dizem que uma coisa não faz sentido, é porque ela faz todo o sentido. Pessoas que dão sentido, que veem sentido, que buscam sentido, que "sentem", essas terão sempre dias em que foram muito felizes. Mesmo que depois hajam outros em que estarão muito tristes. A vida é assim. Dias de chuva e dias de sol. Sem eles (o sol e a chuva), nenhuma semente nasce. Depois, cabe cuidar, cultivar, ter paciência. E colher.
Beijo de final de semana, Ana amiga, que já estás em bons tempos de colheita.

Do teu sempre amigo Romar.

Livros que me acompanham em 2009

  • Notes from my travels- Angelina Jolie
  • THE SHAMANIC WAY OF THE HEART - Chamalu- Luis Espinoza
  • Shooting Butterflies - Marika Cobbold
  • The Global Deal - Climate change and the creation of a new era of progress and prosperity- Nicholas Stern
  • The Penelopiad- Margaret Atwood
  • Discover Atlantis - Diana Cooper
  • Tne Gift - How the creative spirit transform the World - Lewis Hyde
  • My East End: A history of Cockney London- Gilda O'Neil
  • Delta of Venus- Anais Ninn
  • The Little Prince- Antoine de Saint Exupéry *** Apr
  • Doidas e Santas- Martha Medeiros (March)
  • The English Patient by Michael Ondaatje
  • Gilead by Marilynne Robinson - Feb
  • Healing With the Faries by Doreen Virtue (Feb)
  • Montanha Russa- Martha Medeiros (Feb)
  • O codigo da Inteligencia - Augusto Curry - Feb
  • O Ensaio sobre a cegueira - Jose Saramago ( Jan Lendo)

Livros que andaram comigo em 2008

  • Meditacao a primeira e ultima Liberdade by OSHO ( Dec)
  • The English Patient by Michael Ondaatje (Dec Lendo)
  • Harry Potter and the Philosopher's Stone - J.K Rowling (Oct Lendo)
  • The PowerBook - Janette Wintersone (Oct- )
  • A vida que ninguem ve- Eliane Brum (Sep - Lendo)
  • The Birthday Party - Panos Karnezis - (Sep )
  • Ensaio sobre a Lucidez -Jose Saramago (Lendo...)JUN
  • Nearer The Moon -Anais Ninn (Lendo..) JUN
  • Superando o carcere da emocao - Augusto Cury(lendo...) JUN
  • Perdas e Ganhos- Lya Luft Jun(Releitura) Jun
  • A Mulher que escreveu a Biblia - Moacyr Scliar(May) ****
  • The Secret By Rhonda Byrne (May)
  • Time Bites -Doriss Lessing March (lendo...)
  • Life of Pi - Yann Martel (March to May )
  • The Kite Runner -Khaled Hossein /March ****
  • Back when we were geown ups / ANNE TYLER (larguei na metade)
  • O Sonho mais doce - DORIS LESSING /Feb ****
  • The Crimson Petal and the White- MICHAEL FABER / Dec-Jan / ***

Livros que me acompanharam em 2007

  • Burning Bright - TRACY CAVILER
  • Fear of flying - ERICA JOUNG (larguei na 50th pagina)
  • I'll take you there - JOYCE CAROL OATES ***
  • Memorias de minhas putas trsites GABRIEL GARCIA MARQUEZ ***
  • The Siege - HELEN DUNMORE ***
  • A girl with a pearl earing - TRACY CHAVILER ***
  • A year in Province PETER MYLES ( larguei na metade)
  • The mark of the angel- NANCY HUSTON-
  • A bruxa de portobelo - PAULO COELHO -
  • Under the Tuscany Sun - FRANCES MAYA -
  • Sophie's World - JOSTEIN GAARDER *
  • The umberable lightness of being - KUNDERA- **
  • As aventuras da menina ma MARIO VARGAS LOSA - ****

Followers

Nas entrelinhas

About Me

Lua

CURRENT MOON
p>

FEEDJIT Live Traffic Feed